Showing Page:
1/2
Dor
INTRODUÇÃO
Dor é uma experiencia cotidiana que
acomete milhares de pessoas em todo o
mundo nas instituições de saúde, no
trabalho e nos domicílios. Em muitos
casos a dor é mais que um sintoma, mas
sim uma doença e seu controle é o
objetivo do tratamento. A vivencia da dor
resulta em alterações biológicas,
psicossociais e sofrimento prejudicando
várias áreas da vida. A dor é considerada
uma emoção por Aristóteles e uma
sensação por Descartes.
ENFERMAGEM NA DOR
O profissional de enfermagem tem um
importante papel para o controle
adequado da dor a medida como atua
como identificador de dores em situações
de internação. A equipe de enfermagem é
indispensável para a identificação do
fenômeno doloroso, tratamento e
avaliação, pelo contato com o paciente.
FISIOLOGIA E MODULAÇÃO
DA DOR
Para validar a existência da dor basta
apenas o relato de que está presente. Não
se pode delimitar a dor somente pela
expressão verbal. É fundamental estar
atendo as manifestações
comportamentais que ela causa no
individuo, como expressões faciais,
respostas reflexas de contração muscular
que podem levas a isquemia tecidual,
diminuição dos movimentos, humor
deprimido, ansiedade, raiva, hostilidade,
pensamentos catastróficos,
desenvolvimento de dependência maior
da família e distúrbios no padrão de sono.
A dor iniciada em qualquer parte do
corpo é levada pelo sistema nervoso
periférico a medula espinhal e dela para
as estruturas do tronco cerebral, sistema
límbico e córtex. Quem realiza essas
atividades é o sistema nociceptivo. A
modulação da dor ocorre pela integração
de estímulos periféricos a processos
cognitivos e emocionais.
TIPOS DE DOR
A dor pode ser classificada de varias
maneiras segundo diversos autores, ela
pode ser descrita nas formas aguda,
crônica, nociceptiva e neuropática.
Dor aguda: es intimamente
relacionada a existência de uma
lesão, e cuidando dessa lesão a
dor desaparece.
Dor crônica: aquela que persiste
após o tempo de cura da lesão ou
que está associada a processos
patológicos crônicos que causam
dor continua.
Dor nociceptiva: é aquela em que
elevada síntese de substancias
algiogenicas e intensa
estimulação das fibras
Showing Page:
2/2
nociceptivas, como em doenças
inflamatórias, traumáticas ou
isquêmicas.
Dor neuropática: ocorre lesão
parcial ou total das vias nervosas
do sistema nervoso periférico ou
central, como neuropatia
dolorosa por diabetes, herpes
zoster, AVC, ou invasão de
estruturas nervosas por tumores,
entre outras situações.
DOR E CULTURA
Pimenta e Portoni (2000) afirmam que
os todos de educação infantil que as
diferentes culturas proporcionam ao
individuo influenciam ativamente a
formação de atitudes e expectativas
frente a dor, a qual influenciara
ativamente sua percepção e conduta na
fase adulta. A dor na maioria das
cultuaras associa-se a sentimentos de
acolhimento ou punição e culpa. O
aprendizado social é essencial no
desenvolvimento dos significados
atribuídos a dor.
“a influencia das crenças e atitudes
humanas levaram a moldagem da dor
através de magia, teologia, filosofia e
práticas variadas, influenciadas pela
cultura de casa povo” (CINTRA et al., 200,
p.276)
AVALIAÇÃO E MENSURAÇÃO
DA DOR
O grande desafio no combate da dor
inicia-se na sua mensuração, que é
subjetiva, variando individualmente em
função de vivencias culturais, emocionais
e ambientais.
Na figura abaixo estão algumas escalas de
dor.
Referência: Saberes e práticas: guia para
ensino e aprendizagem de enfermagem,
volume 3. São Caetano do Sul, SP: difusão
editora, 2006.

Unformatted Attachment Preview

Dor que podem levas a isquemia tecidual, INTRODUÇÃO Dor é uma experiencia cotidiana que acomete milhares de pessoas em todo o mundo nas instituições de saúde, no trabalho e nos domicílios. Em muitos casos a dor é mais que um sintoma, mas sim uma doença e seu controle é o objetivo do tratamento. A vivencia da dor resulta em alterações biológicas, psicossociais e sofrimento prejudicando várias áreas da vida. A dor é considerada uma emoção por Aristóteles e uma sensação por Descartes. para o controle adequado da dor a medida como atua como identificador de dores em situações de internação. A equipe de enfermagem é indispensável para a identificação do fenômeno doloroso, pensamentos catastróficos, desenvolvimento de dependência maior da família e distúrbios no padrão de sono. A dor iniciada em qualquer parte do corpo é levada pelo sistema nervoso periférico a medula espinhal e dela para as estruturas do tronco cerebral, sistema límbico e córtex. Quem realiza essas atividades é o sistema nociceptivo. A modulação da dor ocorre pela integração cognitivos e emocionais. O profissional de enfermagem tem um papel deprimido, ansiedade, raiva, hostilidade, de estímulos periféricos a processos ENFERMAGEM NA DOR importante diminuição dos movimentos, humor tratamento e TIPOS DE DOR A dor pode ser classificada de varias maneiras segundo diversos autores, ela pode ser descrita nas formas aguda, crônica, nociceptiva e neuropática. • Dor aguda: está intimamente relacionada a existência de uma avaliação, pelo contato com o paciente. lesão, e cuidando dessa lesão a FISIOLOGIA E MODULAÇÃO dor desaparece. • DA DOR Dor crônica: aquela que persiste Para validar a existência da dor basta após o tempo de cura da lesão ou apenas o relato de que está presente. Não que está associada a processos se pode delimitar a dor somente pela patológicos crônicos que causam expressão verbal. É fundamental estar dor continua. atendo as manifestações • Dor nociceptiva: é aquela em que comportamentais que ela causa no há elevada síntese de substancias individuo, faciais, algiogenicas e respostas reflexas de contração muscular estimulação das como expressões intensa fibras nociceptivas, como em doenças inflamatórias, traumáticas ou isquêmicas. • Dor neuropática: ocorre lesão parcial ou total das vias nervosas do sistema nervoso periférico ou central, como neuropatia dolorosa por diabetes, herpes AVALIAÇÃO E MENSURAÇÃO DA DOR O grande desafio no combate da dor inicia-se na sua mensuração, já que é subjetiva, variando individualmente em função de vivencias culturais, emocionais e ambientais. zoster, AVC, ou invasão de Na figura abaixo estão algumas escalas de estruturas nervosas por tumores, dor. entre outras situações. DOR E CULTURA Pimenta e Portoni (2000) afirmam que os métodos de educação infantil que as diferentes culturas proporcionam ao individuo influenciam ativamente a formação de atitudes e expectativas frente a dor, a qual influenciara ativamente sua percepção e conduta na fase adulta. A dor na maioria das cultuaras associa-se a sentimentos de acolhimento ou punição e culpa. O aprendizado social desenvolvimento é dos essencial no significados atribuídos a dor. “a influencia das crenças e atitudes humanas levaram a moldagem da dor através de magia, teologia, filosofia e práticas variadas, influenciadas pela cultura de casa povo” (CINTRA et al., 200, p.276) Referência: Saberes e práticas: guia para ensino e aprendizagem de enfermagem, volume 3. São Caetano do Sul, SP: difusão editora, 2006. Name: Description: ...
User generated content is uploaded by users for the purposes of learning and should be used following Studypool's honor code & terms of service.
Studypool
4.7
Trustpilot
4.5
Sitejabber
4.4